20 maio 2010

Eu não quero usar óculos

(mas quero que ele queira)



Eu, que nem nunca quis usar óculos, passei as últimas horas a repetir a palavra em frases como: "Tigy, põe os óculos", "Tigy olha os óculos" ou "Tigy cuidado com os óculos".
Não sei bem dizer se o choque foi maior aos 13 anos quando ouvi o médico dizer à minha Mãe "Mas ela não vê quase nada do olho direito!", com o tom mais admirado do mundo, ou há poucas semanas quando ouvi outro médico dizer-me a mim "Acho que o seu filho vai mesmo precisar de usar óculos..."
Sei perfeitamente a sensação que tive a primeira vez que coloquei uns óculos na cara: "Ah! Quer dizer que toda a gente vê daqui para ali?", quando sempre pensei que todos viam o mesmo que eu. E sei, ainda melhor, como durante anos e anos lectivos sucessivos deixava os óculos em casa e copiava pelo caderno da colega do lado, porque da minha mesa os traços a giz no quadro pouco mais eram do que manchas esbranquiçadas.
Esses tempos conturbados no meu relacionamento com os óculos terminaram com as lentes de contacto e o pouco tempo por dia que agora passamos juntos - à noite, já na cama, na hora da leitura - tornaram-nos mesmo bons amigos.

Cá em casa entraram hoje uns óculos novos: pequeninos e arredondados, vermelhos como ele escolheu depois de um dó-li-tá um pouco aldrabado.
Ao segundo episódio do Dartacão, e poucas horas depois da chegada, os óculos já não saem da cara do Tigy e parece-me que as cores da televisão estão até bem mais animadas.



(Antes mesmo dos óculos, o livro "Não quero usar óculos" de Carla Maia de Almeida já era leitura obrigatória na hora de deitar.)

Ilustração - André Letria

3 comentários:

Anónimo disse...

:)
como eu compreendo...tive igual sensação quando descobri o que era ver bem (com óculos).
beijinhos
rita ramos

CMM disse...

Sei bem o que isso é, e como custa saber que passamos uma herança pouco agradável aos nossos filhos. Beijinhos

O Leão da Montanha disse...

Algumas mulheres acham sexy homens de óculos, mas eu tenho nenhuma vontade de usá-los não, só se for escuro, afinal podemos usá-los como charme.