04 julho 2007

Um dia



Um dia, quando o Tigy for um rapaz crescido, irei explicar-lhe porque é que a mamã é assim, porque reclama tempo para si, calada, sossegada, de olhos humedecidos e o corpo contorcido. É que a mamã ainda não é uma menina crescida e, às vezes, sente-se mais pequenina que o Tigy que ainda diz poucas palavras e viveu tão poucos dias. Há mesmo dias em que a mamã não se sente nada "Mãe" e pede muitas desculpas baixinho ao seu bebé, por não ser capaz, por não ser mesmo capaz... Então o Tigy vai saber que há dias em que perdemos muitos anos dentro de nós, em que reclamamos tempo e mãos a deslizar no cabelo, em que queremos o mundo abraçado a nós... Dias em que as coisas pequenas, como um brigadeiro de chocolate, nos fazem perceber coisas grandes como a amizade. E sei que esse dia vai valer tanto como muitos outros, aqueles em que me sinto crescida, inteiramente "Mãe", inteiramente feliz.

8 comentários:

BlueAngel disse...

Chovi de comoção. Muito e muito obrigada, AMIGA!!! Não consigo escrever mais nada! :-)

Cláudia Pinto disse...

Amiga,

Tu realmente escreves como ninguém. É por isso que o teu blog é especial. Todos nós nos queixamos de falta de tempo e as mães não são excepção! Tu também terás os teus momentos particulares e o Tigy quando crescer também te vai exigir isso. Também ele sentirá necessidade de estar sozinho para também ele crescer!

Beijinhos grandes, amiga. Continuo a gostar muito de te ler!

Sombr|A|rredia disse...

..Só por teres conscicência disto tudo já te faz,por si só, uma mãe melhor
:)
Bjs de luz

CLS disse...

Às vezes, há essa vontade de voltarmos a ser pequeninos e alguém nos pegar ao colo...
Um beijinho.

Catarina Araújo disse...

Gosto muito de ler os teus posts! Acho que te corre nas veias o dom da escrita. Devíamos poder folhear esse teu dom, lê-lo nas páginas de um livro, além daquilo que escreves do blogue. Quem sabe se no futuro não te aventuras!! ;-p

Amélia do Benjamim disse...

Escreves tão bem...
Venha daí o brigadeiro de chocolate!
:)

Rui Tigeleiro disse...

Tenho dias em que nem pai, nem marido, nem nada.
Tenho dias que também gostava de ser pequeno e que tivesse um colo onde me sentisse protegido.
Tenho muitos dias assim. Inseguros.

Smas disse...

Acho que todos temos dias assim e tu descreves o que sentimos melhor que ninguém.
Bjs