30 janeiro 2007

Balbúrdia temporária


Para que um dia o Tigy também me veja assim...


"Uma casa em fase de mudança: uma balbúrdia temporária."
Assim estava definida a adolescência numa das muitas citações que eu tinha coladas num dos meus cadernos pretos do liceu. Naquele tempo, eu vivia mesmo esses dias de dramas e desafios e já dizia que aquela era, apesar de tudo, a melhor fase da vida. Porque naquela idade desculpam-se quase todos os erros, esquecem-se até os exageros das paixões e toda a virtuosidade das ideias e dos sonhos. Dentro daqueles anos coube, em mim, uma história longa de mais para agora a lembrar... Uma história de enganos e injustiças, de ingenuidade e poder, de um certo mistério e muito pouco tento. Essa é uma das grandes histórias da minha vida, a que me fez mais amarga do que rosa, a que me fez mais desconfiada do que sincera, mais premeditada do que emotiva. Essa é a história que me faz ser assim. Hoje. Adulta ou talvez não. Mãe. Mulher. E o importante é dizer que, se não fosse essa história, a minha adolescência teria sido uma qualquer e a minha vida, dentro da minha cabeça, seria muito mais... simples. Talvez.

Hoje, por ter voltado aos cadernos da escola, aos testes e aos colegas de turma, consegui lembrar-me friamente do que é, afinal, importante na minha adolescência. E foi assim que descobri as melhores coisas de mim vindas dela: a irreverência, os medos e as dúvidas constantes e dilacerantes, a sensação de ter o mundo inteiro à minha espera e, até, uma nostalgia saboreada nas palavras que escrevo e nas que apago, também.

Já agora, as melhores histórias da minha vida vivem comigo o dia-a-dia e são, realmente, as únicas que importam. Já sem saber bem como, parece que substituí as mágoas pelas esperanças e, sem certeza de qualquer espécie, enfrento os dias de balbúrdia com a inconsciência da adolescência.

9 comentários:

BlueAngel disse...

A adolescência, é de facto, uma época de sonhos e de momentos únicos. E, sobretudo, de muita esperança e confiança no futuro. Compreendo algumas das tuas balbúrdias pq também são as minhas, e depois cada uma ainda tem as suas próprias, mas sei que esta fase é passageira. Para bem de todos! Sabes o que mais irrita aqules que nos balburdiam? O facto de termos verdadeiros portos-de-abrigo aos quais regressamos todos os dias e que nos deixam com um sorriso estonteante para enfrentar o dia seguinte!!!!! Nós as duas temos isso e é o melhor que o mundo nos pode dar! Ahhhh, e continua a sonhar pq o sonho comanda a vida!

Jane & Cia disse...

Recordo os meus, a morada, a balbúrdia interior, a garra da mudança...

Enfrentar os dias com alguma inconsciência da adolescência e com a maturidade que não se deita para o lado pode fazer com que seja possível (outra vez) conquistar o mundo!!!

Um beijinho grande também para o Tigy

Maria Luis disse...

Sei disso tudo, os cadernos pretos sempre foram partilhados...!!
Beijocas

Anoquinha disse...

O passado fica nos cadernos... O importante e' o agora!
Beijo

Rute disse...

A adolescência é uma fase cheia de encantos e desencantos...
De aprendizagens assustadoras, que nos enchem os dias e nos baralham..
E que nos fazem no fundo ter os olhos de ver o mundo, no hoje...
Um beijo

sombra_arredia disse...

...é a história que estou a pensar amiga ;(?

Amélia do Benjamim disse...

E eu, perco-me (in)conscientemente nas tuas palavras...
Bjo

Rute disse...

se puderes visita e divulga o novo cantinho da minha mãe!
http://oficinadamagia.blogspot.com/
um beijo

docinho disse...

Uma fase da vida que muda o nosso olhar inocente... adoro ler-te...

Beijos refugiados